29.2.16

Todo paulista sabe que as praias da região central (santos/ guarujá / são vicente / praia grande) são o destino certo de milhões de pessoas que vivem na capital e desejam curtir um dia de praia e sol. Afinal são as praias mais próximas e de fácil acesso para nós. Como todo bom paulista sabe também, são as praias mais sujas. Além de serem muito frequentadas, essas praias ficam ao redor do porto de Santos, simplesmente o maior da América latina, cheio de navios a todo momento, onde vazamentos de óleo são recorrentes. A última vez que eu fui na praia grande (em outubro do ano passado) tinha tanto óleo na água que eu entrei com uma camiseta branca e saí com ela marrom escuro. Uma tristeza. Porém todo bom paulista sabe também que apesar disso, essas praias estão no imaginário infantil de milhões de pessoas, como destino de férias felizes no verão, com direito a passeio nas feirinhas hippies, muito banho de mar e sorvetes deliciosos com cobertura de chocolate.



 E é por isso que eu já tive a chance de visitar praias paradisíacas no nordeste, mas eu sinto falta mesmo é da minha praia grande ♥ lá eu tenho as melhores memórias, e consigo curtir praia do jeito que eu gosto, bem urbana, com muitos quiosques, sorveterias, um calçadão e muito mar para aproveitar. Sem plantas aquáticas enrolando nos meus pés, ou bichos apavorantes me enlaçando. Sei que parece absurdo, mas toda vez que eu visitei outras praias, quase sempre eu não curti. Tive experiências horríveis, queimaduras por água viva, bichos que grudavam no meu pé... tenho pavor desse tipo de situação, por isso que uma praia mais urbana (sem bicho), é minha preferência. Nada mais paulista. Podrão, eu sei.
Mas dessa vez algo ocorreu. Porque era fevereiro e a praia estava incrivelmente limpa. Todas as praias estavam liberadas para uso e pasmem, a água estava cristalina, dava para ver os pés e peixes nadando. PEIXES NADANDO NA PRAIA GRANDE. Eu nunca imaginei viver para vivenciar isso. Tinha até estrela do mar, o que com certeza foi a prova mais viva que algum milagre ocorreu. Só não sabemos qual.

E bom... curtimos muito. O sol estava super forte, e mesmo passando protetor 4 vezes eu fiquei morena bronzeada com marca de biquíni (o que acho ridículo, mas tudo bem). Tomei muito sorvete (cheio de corante, porque faz parte da experiência de viver um dia de podrão), algodão doce (porque sou a única adulta que saí correndo atrás dos tiozinho fantasiado de piu piu vendendo doce), camarão (que fez a gente passar o dia seguinte no hospital, porque o bruno fez o favor de engolir um inteiro, e fez a gente pensar que podia estar engasgado na garganta) e muita água de coco (a única coisa fitness do rolê). Um dia perfeito e cheio de emoção, com direito a contemplação da cena deu rolando e pulando no mar que nem criança, porque maturidade eu tenho só quando não estou dentro d´agua.



e as fotos bonitas que foram tiradas todas no começo, quando eu tinha ainda alguma dignidade.
E que fique registrado, um dos dias mais gostosos, dentre tantos outros, que eu mergulhei nas águas desse lugar que eu amo tanto ♥ ♥

Prazer, Jess! Depois de tantos blogs, registrar e compartilhar se tornou parte da minha forma de ver o mundo, por isso mantenho o hábito de escrever em diferentes urls por aí. Atualmente vivo em São paulo, Brasil e estou sempre em busca do que possa me inspirar.

https://twitter.com/quirinojessmailto:qrnojess@gmail.com