28.8.18

do outro lado do oceano


Faz um pouco mais que uma semana que voltamos da nossa trip na Itália e há tanto para ser dito que as palavras até se interpolam enquanto eu escrevo esse post. São tantas emoções e memórias que ressignifica-las através de um texto em um blog se apresenta enquanto um desafio altamente provocador, me instigando a encontrar a expressão exata que representa todo o conjunto de sentimentos que envolveram essa minha primeira experiência internacional. E como o objetivo de regressar com esse blog é justamente aceitar o desafio de registrar as vivências cotidianas com palavras, começo hoje essa série de postagens sobre nossa trip de 8 dias pela Itália, incluindo um roteiro de 5 cidades e o desafio minimalista que foi viajar por boa parte do percurso com apenas uma mochila nas costas.

Então gostaria de começar dizendo que essa foi minha primeira viagem internacional e também a primeira vez que entrei em um avião. Acerca disso, acho importante ressaltar o quanto acho engraçado pensar em como uma coisa tão inacessível até tempos atrás é para a nossa geração uma experiência quase universal. Ignorando um pouco o contexto ~classe média sofre~ sempre me senti meio marginalizada por nunca ter tido essa experiência, porém hoje vejo que na verdade sou grande privilegiada por ter essa oportunidade no auge dos meus 27 anos. É uma questão de perspectiva. Voar foi algo que me fez refletir muito sobre perspectiva e sobre como nosso universo cotidiano pode nos parecer muito grande, mas que na realidade, visto do alto, é minúsculo e até insignificante. Tudo lá no alto perde uma certa importância e a gente meio que percebe que damos muita importância para um espaço tão pequeno de terra. No demais, viajar é realmente delicioso. O contato com uma outra cultura, uma outra língua, é fascinante. Para mim serviu de forma muito impactante como um intercâmbio de perspectivas político-sociais, das quais eu nem esperava. Foi algo tão forte e determinante que as raízes disso ainda estão sendo maturadas para que em breve possam dar frutos. Sinto que voltei uma pessoa melhor, determinada a me engajar com muitas coisas da minha realidade e convidada a sair de uma estagnação profunda que estava vivenciando nos últimos anos.

Na verdade, sobre essa quebra de paradigmas, sinto que desenvolvi realmente um novo olhar sobre o mundo. Para uma pessimista convicta como eu é estranho pensar que estou vivendo uma fase meio Poliana. A vida tem me parecido divertidamente desafiadora e tudo ganhou um tempero resolutivo delicioso. É como se as coisas que antes me causavam vontade de sentar em frente a TV e desligar da realidade fossem o motivo da minha existência no aqui e agora. E é um grande clichê né? Como se de repente eu tivesse mesmo que ir para fora para apenas descobrir que tudo que eu preciso está aqui dentro da minha realidade.

Viajar é mais do que a visão de pontos turísticos, é a mudança que acontece, profunda e permanentemente, no conceito sobre o que é a vida.
- Miriam Beard


Com isso eu dou um fechamento para esse primeiro post chegando no ponto que vai dar um tom para os meus relatos sobre a Itália. Que ela é maravilhosa, creio que ninguém tem a menor dúvida. Mas o que eu realmente queria compartilhar com vocês é um pouco dessa transformação profunda que eu vivi ao cruzar esse oceano, que me fez enxergar a vida com mais propósito e me fez voltar para o Brasil com um senso de pertencimento tão grande. Já diria Quintana, "viajar é trocar a roupa da alma", então fico com essa conclusão que a minha roupa estava mesmo precisando ser trocada e que bom, que agora estou limpinha e cheirosa.

10 comentários

  1. Além de livros e estudos a viagem faz com
    em um curto tempo possamos praticar o pensamento
    crítico e ideológico sobre certas coisas.
    Prazer em conhecer seu blog.
    janicce.

    ResponderExcluir
  2. Acabei de voltar de uma viagem (tbm com uma mochila nas costas) e ebem o que você esta dizendo. Mergulhar em uma nova cultura, abre noss amente de um tanto que eu nem sei descrever.
    To ansiosa pra saber mais sobre a sua viagem, itália é um sonho pra mim <3

    Love, Geek & Travel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que massa! vou ler sobre suas experiência assim que possível ❤

      Excluir
  3. Oi Jess, que bacana sua experiência, viajar é sem dúvida a coisa que mais amo fazer e tenho certeza que depois dessa sua primeira experiência no exterior você só irá querer cada vez mais, como eu que sigo sempre planejando a próxima viagem <3

    Beijos,
    Amanda Laboredo
    www.ireicomdoroty.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Jess. Tudo o que você disse é tão relevante! Eu penso muito parecido sobre a grandeza de uma viagem internacional, como escrito no seu segundo parágrafo.
    Também fui para a Itália neste ano, um país incrível por sinal. Bem parecido com o nosso em vários fatores, mas não superior em questão de organização...rs, acho que criticamos muito o Brasil, mas enfim, não "criarei" debates... hehehe.

    Beijos, curiosa pra saber os lugares que visitou. 5 cidades em 8 dias é beeeeem corrido. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Carla!
      você sabe que eu voltei justamente com essa ideia? achei a itália um país maravilhoso, mas me fez pensar mto mesmo sobre as maravilhas daqui tb ❤

      Excluir
  5. Verdade Jess, às vezes a gente precisa desse olhar de fora para entender melhor o que se passa por dentro. Adorei a citação da Miriam Beard, maravilhosa.♥

    ResponderExcluir

Prazer, Jess! Depois de tantos blogs, registrar e compartilhar se tornou parte da minha forma de ver o mundo, por isso mantenho o hábito de escrever em diferentes urls por aí. Atualmente vivo em São paulo, Brasil e estou sempre em busca do que possa me inspirar.

https://twitter.com/quirinojessmailto:qrnojess@gmail.com